Avaliação da atividade citotóxica e potencial antiparasitário in vitro do α-pineno e carvacrol

C E Sobral-Souza, N F Leite, D I.V. Brito, Anne K.L.S. Lavor, L B.B. Alencar, R S Albuquerque, J V.A. Ferreira, M A. Freitas, E F.F. Matias, J C. Andrade, S R. Tintino, M F. Morais-Braga, C Vega, Henrique D.M. Coutinho

Resumen


A leishmaniose e a doença de Chagas tem sido um grande desafio, no que diz respeito à sua terapêutica. Devido à grande dificuldade de encontrar fármacos que garantam uma ação terapêutica eficiente e menos agressora à espécie humana, diferentes produtos naturais vêm sendo testados. Muitas espécies vegetais foram investigadas quanto à sua ação leishmanicida e tripanocida na expectativa de que seus compostos metabólicos possuam atividade antiparasitária e ausência ou baixa citotoxicidade. Neste estudo sobre bioatividade do α-pineno e carvacrol, avaliaram-se os potenciais leishmanicida e tripanocida. O carvacrol apresentou um percentual de inibição de 38,34% e 74,12% para as formas promastigotas e epimastigotas respectivamente, na concentração de 100µg/mL, apresentando uma citotoxicidade de 21,62%. O α-pineno apresentou 100% e 5,30% de inibição para as formas epimastigota e promastigota na concentração de 100 μg/mL, com citotoxicidade de 87,88%.

Texto completo

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Licencia de Creative Commons
Esta obra está licenciada bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial 2.5 Argentina .

Acta Toxicológica Argentina ISSN 0327 9286 (impreso) - ISSN 1851-3743 (en línea). Alsina 1441, Of. 302, (CP 1088), C.A.B.A. www.ataonline.org.ar