Educação em direitos humanos no Brasil e suas diretrizes associadas às agendas das Nações Unidas

Maria José de Rezende

Resumen


No limiar do século XXI, as prescrições e os diagnósticos formulados por diversos organismos internacionais ganharam uma relevância significativa. Disto resultaram várias agendas que possuem o objetivo de orientar as políticas sociais, em diversas áreas, planejadas e implementadas por governantes e/ou reivindicadas por lideranças políticas ligadas às muitas organizações da sociedade civil. São muitas as disputas políticas que emergem destas orientações. Serão demonstradas, por meio de uma pesquisa documental, as confluências existentes entre as proposições do Caderno Educação em Direitos Humanos que busca dar um encaminhamento prático para as diretrizes nacionais da educação em direitos humanos, formuladas pelo Conselho Nacional de Educação como parecer n.8/2012, e as agendas de políticas educacionais trazidas tanto pelas metas postas no pacto internacional denominado Educação para Todos e encampadas pela UNESCO, quanto pelas prescrições contidas nos Relatórios de desenvolvimento humano (RDHs) e divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Citas


Bauman, Z. (1999). Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

Benevides, M. V. (2000). Educação em Direitos Humanos: de que se trata? Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Etica/9_benevides.pdf. Acesso em 02 jun 2019.

Bourdieu, P. (2003). A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes.

Brasil. (2007). Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2191-plano-nacional-pdf&Itemid=3019. Acesso em 10 maio 2019.

Brasil. (2012). Resolução n.1 de 30 maio estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rcp001_12.pdf. Acesso em 20 maio 2019.

Brasil. (2012). Parecer CNE/CP n.8/2012, aprovado em 06 março estabelece as diretrizes para a Educação em Direitos Humanos. 2012ª. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10389-pcp008-12-pdf&category_slug=marco-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em 25 maio 2019.

Brasil. (2013). CEDH/Caderno de Educação em Direitos Humanos: Diretrizes Nacionais. Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos.

Candau, V., Sacavino, S. B. (2013). Educação em direitos humanos e formação de educadores. Educação, 36 (1), 59-66.

Etchichury, H. J. (2015). La mente, la pobreza y el banco mundial. Revista Enfoques, 13 (23), 49-65.

Furtado, C. (2002). Em busca de novo modelo. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

MARTINS, J. S. (1995). A reprodução do capital na frente pioneira e o renascimento da escravidão no Brasil. Tempo Social, 6 (1-2), 1-25.

PNUD/RDH. (1990). Relatório do Desenvolvimento Humano: Definição e medição do desenvolvimento humano. Nova York, PNUD/ONU. Disponível. [Acessado em 02/10/2018]

PNUD/RDH. (2000). Relatório do Desenvolvimento Humano: Direitos Humanos e Desenvolvimento Humano. Nova York, PNUD/ONU. Disponível em: . [Acessado em: 11/10/2018].

PNUD/RDH. (2001). Relatório de Desenvolvimento Humano: Fazendo as novas tecnologias trabalhar para o desenvolvimento humano. Nova York, PNUD/ONU. Disponível em: . Acessado em: 02/10/2018.

PNUD/RDH. (2004). Relatório de Desenvolvimento Humano: A liberdade cultural no mundo diverso hoje. Nova York, PNUD/ONU. Disponível em: Acessado em: 08/09/2018

PNUD/RDH. (2010). Relatório de Desenvolvimento Humano: A verdadeira riqueza das nações: caminhos para o desenvolvimento humano. Nova York, PNUD/ONU. Disponível em: Acessado em: 11/06/2018

PNUD/RDH. (2014). Relatório de Desenvolvimento Humano: Sustentar o Progresso Humano: Reduzir as Vulnerabilidades e Reforçar a Resiliência. Nova York, PNUD/ONU. Disponível em: Acessado em: 11/06/2018

Resende Figueira, R. (1999). Condenados à escravidão apud Trabalho escravo no Brasil contemporâneo (165-208). Goiânia: São Paulo: CPT/Loyola.

Resende Figueira, R. (2004). Pisando fora da própria sombra: a escravidão por dívida contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Rezende, M. J., REZENDE, R. C. (2013). As dificuldades de erradicação do trabalho escravo no Brasil hoje e a exposição dos muitos desafios postos ao desenvolvimento humano. Nómadas (Madrid), número especial, 1-24. Disponível em: www.revistas.ucm/es.index.php/noma/article/view/42349 Acesso em 24/11/16.

Smith, A. (1999). Teoria dos sentimentos morais. São Paulo: Martins Fontes.

Sen, A. (1981). Poverty and famine: on essai on entitlement and deprivation. Oxford: University Press.

Sen, A. (2008). Desigualdade reexaminada. Rio de Janeiro: Record.

Sen, A. (2010). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Cia das Letras.

Schilling, F. (2011). Direitos Humanos e Educação. Outras palavras, outras práticas. São Paulo: Cortez Editora.

Soares, L. E. (2016). Em busca de alternativa. Folha de S. Paulo, 27 nov. Caderno Ilustríssima, p.6.

Ul Haq, M. (1978). A Cortina da pobreza: opções para o terceiro mundo. São Paulo: Nacional.

Ul Haq, M. (1995). Reflections on Human Development. Nova York: Oxford University Press.

UNESCO/REPTS. (2002). Relatório de Monitoramento da Educação para Todos: La EPT: ¿Va el mundo por el buen camino? Madrid, UNESCO. Disponível em: http://www.unesco.org/new/es/education/themes/leading-the-international-agenda Acesso em 18/01/2018.

UNESCO/REPTS. (2009). Relatório de Monitoramento da Educação para Todos: Superando desigualdades: porque a governança é importante. Brasília, UNESCO. Disponível em: http://www.unesco.org/new/es/education/themes/leading-the-international-agenda Acesso em 20/08/2018.

UNESCO/REPTS. (2010). Relatório de Monitoramento da Educação para Todos: Marginalização. Brasília, UNESCO. Disponível em: http://www.unesco.org/new/es/education/themes/leading-the-international-agenda Acesso em 16/08/2018.

UNESCO/REPTS. (2012). Relatório de Monitoramento da Educação para Todos: Jovens, competências e trabalho. Brasília, UNESCO. Disponível em: http://www.unesco.org/new/es/education/themes/leading-the-international-agenda Acesso em 16/09/2018.

Veiga, J. E. (2006). Neodesenvolvimento: Quinze anos de gestação. São Paulo em perspectiva, 20 (3), 1-25, jul.set.


Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Licencia Creative Commons
Los trabajos publicados en esta revista están bajo la licencia Creative Commons Atribución-NoComercial- Sin derivadas 2.5 Argentina.

Revista del CISEN Tramas/Maepova, publicación del Centro de Investigaciones Sociales y Educativas del Norte argentino de la Universidad Nacional de Salta (UNSa). ISSN-e 2344-9594. Av. Bolivia N° 5150. Ciudad de Salta. CP 4400. Argentina. Tel. (+54) 387 / 42-55551. Fax. (+54) 387 / 42-55520. Correo electrónico: tramas@unsa.edu.ar Página web: http://humani.unsa.edu.ar/cisen/

facebooktwitter

 


Adhiere a:
DORA